Paulo Henrique Rodrigues Pinheiro

Blog sobre programação para programadores

Cidadania, a prova de fogo do crente

Salamalaia

O desvio de um crente em Deus de seu caminho de louvor e humildade com destino à sua salvação, está sendo posto à prova de muitas maneiras.

A vaidade é o ataque mais certeiro. Mas aqui não falarei sobre a vaidade pelo corpo, seja com roupas, produtos de beleza, adornos. É vaidade de espírito, que se incha pelas ações, pela participação, pelo agir, ou mais exatamente, o “colocar a própria mão”.

E as eleições são uma grande prova.

Os usados pelo espírito contrário sempre vão tentar nos constranger argumentando com valores como cidadania, participação, responsabilidade. Alguns apelam até mesmo para o sentimento de amor pelo próximo, e outros vão destacar trechos isolados da Santa Palavra para nos confundir.

E aí surgem os candidatos da família, as coligações cristãs, frentes parlamentares evangélicas. Estamos ao ponto das marchas com Deus pela tradição, família e propriedade. Há quem coloque a lei de aborto como uma conspiração internacional contra a crescente importância do Brasil (isso é dito neste vídeo). Nós que temos a promessa da morada celestial, não podemos nos reduzir ao bairrismo, à xenofobia, ao proto-fascismo.

Isso, além de vaidade, é amor pelo mundo, pelas coisas do mundo. Não há contorno possível ao maior de todos os mandamentos: amar a Deus sobre todas as coisas.

Todas essas mobilizações contra as leis mundanas que se anunciam, não são mobilizações de Deus. Orando é que nós combatemos o mau. A oração é nossa mais forte arma, nossa maior demonstração de amor pela humanidade, que é obra de Deus. Entregando ao Pai nossos pedidos, nosso coração, nossa alma, estaremos em caminho certo, seremos consolados e esclarecidos, e até mesmo atendidos, se Deus assim quiser. Mas o amor supremo, o maior de nossas forças, deve estar direcionado a Ele.

Simples assim.


Compartilhe:



Mantenha contato:

e-email twitter github